Cicloiguaçu Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu

mobilidade ativa nas eleições

A associação de ciclistas do Alto Iguaçu – Cicloiguaçu, em conjunto com mais de 11 entidades, aderiu a Campanha Nacional Mobilidade Ativa nas Eleições, que visa a construção e coleta de assinaturas de uma Carta Compromisso. A carta, redigida coletivamente por organizações civis do Estado do Paraná foi estruturada em três eixos de compromissos: Comportamento, Projeto e Financiamento. Cada eixo possui um conjunto de ações que tem como foco o

apresentacao projeto vida no trânsito Curitiba

No dia 19/07/2018, participamos da reunião mensal do Projeto Vida no Trânsito – PVT para falar sobre o perfil do uso da bicicleta (Perfil Ciclista 2017). O PVT, em Curitiba, é um programa interinstitucional coordenado pela SETRAN, voltado à redução de óbitos e ferimentos graves no trânsito, com foco em saúde pública, infraestrutura, e registro e análise de dados. A Cicloiguaçu integra o programa enquanto parceira. João Bazzo, coordenador de

Agenda de segurança pública

Estivemos nesta semana no Comando Geral da Polícia Militar para tratar de roubos e furtos de bicicletas em Curitiba e sobre registro de colisões envolvendo bicicletas pelo sistema BATEU. Participaram da conversa o Sargento Gustavo e Tenente Titão, Bento Aleixo (ciclista e policial militar) e nossos coordenadores, Fábio Meger, Fernando e João Bazzo. Fizemos a solicitação de dados sobre furtos e roubos a usuários, bem como melhorias no sistema digital

vaga viva!

A Vaga viva, Parklet, é um mobiliário urbano destinado a ampliar o espaço da calçada para pedestres e ciclistas, dispondo de bancos, mesas, paraciclos e floreiras. Em Curitiba o conceito foi propagado pela ONG Cicloiguaçu que em 2014 iniciou uma série de ocupações espontâneas de vagas de estacionamento, provocando a reflexão do uso do espaço público quanto aos benefícios e ao convite que o mobiliário faz aos transeuntes habitarem a

A Falha de San Lorenzo

Em Curitiba, na quadra seguinte do Parque São Lourenço, no endereço “Rio Belém Norte,” a rua, que dá acesso (motorizado) a algumas casas, e por onde passa um importante eixo cicloviário, está sendo engolida pelo Rio Belém. Foi feita uma perícia pela extinta Coordenação de Mobilidade Urbana da Setran, setor que operava na gestão anterior, e foi observado que o problema ocorre pois verte e escorre água da área verde

Binário das ruas Mateus Leme e Nilo Peçanha

A Prefeitura de Curitiba anunciou o binário no dia 27/07 na página de Curitiba: https://goo.gl/D94mb8e um dia depois 28/07 aqui no Facebook:https://goo.gl/j5yahL Porém, percebemos que se esqueceram de quem vai de bicicleta ou a pé, então fizemos alguns ajustes. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o poder público deve promover o trânsito seguro de ciclistas e pedestres. O Plano Nacional de Mobilidade Urbana também diz que se deve priorizar os meios

Quer trabalhar por um PROPÓSITO?

A Cicloiguaçu busca candidatos com forte perfil COMERCIAL. Perfil buscado: – Acreditar que a bicicleta é uma solução para a mobilidade urbana – Forte ímpeto para vendas – Determinação por conquistar resultados Principais atividades: – Identificação de oportunidades de projetos corporativos – Elaboração de apresentações comerciais – Reuniões de negociação e vendas Horário de trabalho: flexível Remuneração por resultado: comissão sobre vendas realizadas Interessou? Envie currículo para coordenacao@cicloiguacu.org.br e felipefrancasilva90@gmail.com

A Via Calma precisa continuar!

Antes da Via Calma, em 2013, 76% dos ciclistas usavam a canaleta na Av. 7 de Setembro. Depois, em 2014, esse número caiu para 18%. Como diz o especialista Celso Mariano na matéria, precisamos tornar as calçadas e as vias laterais mais atraentes aos pedestres e ciclistas. E tornar mais atraente significa também manter a velocidade máxima de 30km/h. Via Calma poupa vidas. Apoie!! Fonte: IPPUC